África é o continente mais perigoso para missionários cristãos

Foto

A atividade missionária é uma das mais perigosas e a mais apaixonante, de acordo com aqueles que se sentem vocacionados para levar adiante a recomendação bíblica feita por Jesus em Mateus 16:15, que diz “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.”

Continentes como África e países como a China têm sido destacados como os mais hostis para as atividades missionária e evangelística cristãs.

No ano passado, centenas de denúncias foram feitas sobre perseguições, prisões e assassinatos de cristãos no mundo por diversos órgãos internacionais que acompanham o trabalho missionário.

De acordo com o Centro Global de Estudos sobre Cristianismo, havia cerca de 440 mil missionários cristãos atuando pelo mundo em 2018. 

Esse número inclui católicos, protestantes, cristãos ortodoxos e grupos americanos como as testemunhas de Jeová e os mórmons.

No último dia de dezembro, a agência de notícias Fides apresentou um balanço onde a África aparece como a região mais perigosa para os missionários católicos.

 “O continente ultrapassou a América Latina como a região mais mortal para os missionários católicos”, relatou a Fides.

Segundo a agência, “muitos missionários perderam suas vidas durante tentativas de assaltos e roubos, ferozmente cometidos, em contextos sociais empobrecidos e degradados, onde a violência é a regra da vida, a autoridade do Estado era deficiente ou enfraquecida pela corrupção e pelos compromissos, ou onde a religião é usada para outros fins”.

O campo missionário evangélico na África também tem sofrido ataques e baixas. Na Nigéria, há forte perseguição aos cristãos e suas famílias.

De acordo com levantamentos, militantes Fulani devem continuar com ataques devastadores contra cristãos no norte e no centro do país.

Só nos primeiros seis meses de 2018, eles mataram até 6.000 pessoas e levaram 50.000 de suas casas.

 

 

 

 

Fonte> CPADnews