Agressor de Bolsonaro conta com escritório luxuoso em sua defesa

Foto

A atuação de uma equipe de advogados de uma das mais prestigiadas bancas de advocacia de Minas Gerais evidenciou que o autor da facada contra o presidenciável do PSL Jair Bolsonaro pode estar recebendo suporte financeiro de gente poderosa, ou não ser uma pessoa comum como aparentou ser.

A defesa refuta a existência de mentor intelectual do crime.

Desde o dia seguinte ao crime cometido na quinta (6), quatro profissionais do direito se apresentaram para defender Adelio Bispo de Oliveira.

Os advogados do homem que golpeou com uma faca o líder da corrida presidencial, em um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) pertencem ao NDCM Advogados Associados.

Segundo reportagem de Amanda Acosta, do Jornal da Cidade, o escritório é referência para o Estado e tem oferece serviços dignos de uma potência no mercado do Direito, a um custo inacessível para quem viveu em pensão de R$ 400, como o agressor de Bolsonaro.

A banca mantém uma requintada sede localizada estrategicamente em Barbacena, próxima ao maiores centros como Juiz de Fora e Belo Horizonte. Outra luxuosa “filial” fica em São João Del Rei.

Os advogados Pedro Augusto de Lima Felipe e Possa, Zanone Manuel de Oliveira Júnior, Fernando Costa Oliveira Magalhães e Marcelo Manoel da Costa defendem que Adelio agiu sozinho e de rompante quando decidiu esfaquear Bolsonaro.

Eles refutam a existência de mentor intelectual do crime, que segundo a defesa, teria sido idealizado três dias antes pelo criminoso, como reação ao discurso de Bolsonaro sobre negros quilombolas.

Também alegam problemas mentais do acusado e avaliam a possibilidade de instaurar um incidente de sanidade mental. “A juíza vai designar um corpo psiquiátrico para que faça um minucioso exame acerca da higidez mental do nosso cliente”, disse o advogado Zanone Oliveira Júnior.