Atlas da violência: José Ronaldo diz que estado não investe na juventude

A Bahia tem ocupado as manchetes dos principais veículos de comunicação após a divulgação do Atlas da violência.

O estado lidera o número de registros de homicídios de pessoas entre 15 a 29 anos de idade.

É também o que tem maior número de assassinatos por armas de fogo, com nove cidades entre as 30 mais violentas do país; é o terceiro colocado em número de mortes resultantes de ações policiais e é também onde mais se mata mulheres.

Os números assustadores foram analisados pelo pré-candidato ao governo, pelo Democratas, José Ronaldo, que credita os resultados à falta de visão estratégica dos setores ligados à segurança.

Segundo José Ronaldo, além da carência de policiamento ostensivo em diversas cidades, o estado não investe na melhoria da educação – foram construídas apenas 10 escolas em 12 anos de governo do PT -, saúde e na criação de novos empregos.

“Tenho viajado muito e a reclamação geral é a da redução do número de policiais, até mesmo em cidades alvo do ataque de bandidos a agências bancárias.

O número de bandidos cresce na mesma proporção que a falta de atenção do governo do PT com a juventude.

Se não tem escolas e qualidade de ensino, jovens adolescentes ficam fora das salas de aula. Não podemos perder tantos jovens para o banditismo e o tráfico. Não podemos permitir a continuidade desse sofrimento”.