Bendine delata esquema envolvendo PT e partidos aliados no Banco do Brasil

Condenado a 11 anos de prisão sob acusação de ter recebidop propinas recebidas na Petrobras, Ademir Bendine,  ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil no governo Dilma (PT), tem relatado várias histórias à Polícia Federal, mesmo sem estar fazendo delação premiada, informa o colunista Lauro Jardim, em O Globo.

Segundo a publicação, Bendine, o  Dida, tem descrito esquemas de liberação de empréstimos a empresas que devolviam 1% a 2% do valor recebido a quatro intermediários.

Este percentual era dividido entre Bendine e o seu grupo, o PT e partidos aliados.

O esquema, contudo, de acordo com o que contou o operador, começou antes de sua ida para o comando do banco.

Ele chegou a dizer que no dia em que a caixa-preta do BB for aberta terá que ser construído um presídio só para o pessoal envolvido nestas fraudes.