Ciganos foram mandantes da morte de empresário em Porto Seguro, diz polícia

A Polícia Civil identificou duas pessoas responsáveis por encomendar a morte do empresário Moyses Volpini Filho de 29 anos, morto em janeiro de 2017, no centro de Porto Seguro. 

De acordo com o delegado, Bruno Barreto, as investigações apontaram os ciganos, Marcelo de Almeida Dantas e seu filho Giliard de Almeida,  como mandantes do crime.  

Conforme o delegado, a motivação do crime foi um desentendimento causado pela cobrança de dívida da venda de uma motocicleta.

 Consta na apuração, que a vítima sofreu um golpe na negociação comercial, e chegou a transferir o veículo, mas recebeu em pagamento um cheque de conta encerrada.

A partir daí, teria iniciado a discórdia da vítima e os ciganos. A prisão temporária dos envolvidos foi solicitada ao Ministério Público.

O delegado informou ainda, que várias diligencias foram empreendidas na tentativa de apurar toda o crime, o que resultou na identificação dos criminosos. 

Ainda conforme a investigação, o policial militar, Anderson de Jesus Ribeiro Amaral, lotado no 8º BPM, relatou a polícia que chegou a receber a proposta para realizar o serviço de pistolagem, contra o empresário.

Em depoimento, o soldado, disse que foi procurado para realizar o homicídio, mas acabou não o fazendo. 

Ainda conforme a apuração, a polícia civil busca esclarecer, porque o militar teria tentado receber dos ciganos um valor em dinheiro pelo crime que disse não ter realizado. 

SOBRE O CRIME 

Moiysés Volpini Filho tinha acabado de encerrar o expediente da sua lanchonete e enquanto se dirigia ao seu carro, foi surpreendido pelas costas por disparos de arma de fogo.

Imagens de câmeras flagraram a fuga dos suspeitos, que fugiram sem levar qualquer pertence da vítima.  

 

 

 

Fonte> Bahiadiaadia