Cristãos da Nigéria podem ser extintos em menos de 25 anos, alertam líderes locais

Foto

Líderes cristãos nigerianos advertiram que, se a atual taxa de massacres continuar e centenas de fiéis forem mortos a cada mês, a nação mais populosa da África está prestes a ter sua população cristã dizimada até 2043.

O alerta foi feito após a morte de 86 pessoas causada pelos extremistas fulanis, em ataques a fazendeiros cristãos.

Bosun Emmanuel, secretário do Fórum National Christian Elders, falou em uma recente conferência em Lagos, onde a administração do presidente Muhammadu Buhari foi acusada de “perseguir abertamente cristãos que resultou em inúmeros assassinatos em todo o país e destruição de comunidades cristãs vulneráveis”. As informações são do site Punch.

“Verdadeiramente falando, o cristianismo está à beira da extinção na Nigéria.

A ascendência da ideologia da Sharia na Nigéria representa o número de mortos da Igreja nigeriana”, disse Emmanuel, pedindo que a Associação Cristã da Nigéria seja reestruturada para poder falar melhor sobre o cristianismo no país.

Embora os cristãos representem quase metade dos 186 milhões de habitantes, há quase uma década eles são fortemente alvos de grupos extremistas islâmicos, como o Boko Haram e, mais recentemente, dos semi-nômades.

“Podemos dizer que daqui 25 anos, estamos correndo o risco de sermos os últimos cristãos na Nigéria.

Portanto, os cristãos devem estar na linha de frente da defesa da democracia na Nigéria”, advertiu Emmanuel.

“A Igreja é o bastião da democracia. Divididos não podemos defender a democracia e promover a justiça.

Consequentemente, a Sharia se fortalecerá. À medida que a Sharia se fortalece, a democracia se enfraquece e a Igreja definha”, ressaltou.