De olho no Senado em 2018, Carletto articula eleição de Coronel na Assembleia

Foto

As costuras para viabilizar o êxito da candidato de Ângelo Coronel (PSD) à presidência da Assembleia Legislativa foram feitas por diversas mãos coordenadas pelo senador Otto Alencar. Um dos principais articuladores do processo foi o deputado federal Ronaldo Carletto (PP). Ex-deputado estadual, Carletto é tido como um dos nomes postos para ocupar uma das vagas ao Senado em 2018.

Embora seja prematuro cravar a chapa 2018, pois o tabuleiro político ainda está sendo desenhado, o que se comenta nos corredores do Palácio Luís Eduardo Magalhães é que o empresário terá o nome posto na chapa, inicialmente, encabeçada pelo atual governador do estado Rui Costa (PT).

Carletto trava nos bastidores do PP, seu partido, uma batalha com o vice-governador da Bahia, João Leão. Presidente da legenda no estado, Leão afirmou reiterada vezes que não tem problemas com o deputado federal, contudo, as informações que circulam são diferentes dessa.

Há ainda a possibilidade real de Carletto deixar o PP e se filiar ao PSD de Otto Alencar. A medida é vista com pragmatismo, mas o que se quer é evitar fissuras. Por enquanto, tanto Leão quanto Otto estão fechados num consórcio sem prazo de validade.

Por outro lado, o desenho da chapa majoritária governista para disputa de 2018 está traçado com uma vaga do Senado destinada ao ex-governador e atual secretário de Desenvolvimento Econômico Jaques Wagner. Rui na cabeça e o próprio Leão na vice. Falta saber se a outra vaga será concedida ao PSD que atualmente tem peso político maior que a senador Lídice da Mata (PSB).

Lídice é candidata ou pré-candidata à reeleição. Resta saber se vai conseguir reunir as condições e para isso espera que sua fidelidade ao projeto atual seja contabilizada. Para dentro do PT, Wagner diz que pode ser candidato a deputado federal. A ideia é não criar problemas para a composição, contudo, mais importante que isso na avaliação intramuros é que Wagner pode ser “puxador de votos” para carregar consigo outros postulantes à Câmara dos Deputados do partido da estrela solitária.

Até o próximo ano “muita água vai passar por debaixo da ponte”, como se diz em política, mas o assunto circula com significativa intensidade nesta quarta-feira (1°) nos salões do Legislativo baiano.

Fonte> Bocãonews