Demora do SUS teria matado Pedrinho? A tristeza é geral

Foto

Moradores de Eunápolis, os pais do menino Pedrinho – bebê que nasceu com uma doença rara e fazia tratamento em Belo Horizonte, aguardando uma cirurgia caríssima que só se faz nos Estados Unidos – confirmaram a morte da criança, na tarde deste domingo, 9 de agosto. Ele não resistiu a longa espera da cirurgia, o que revela a face mercenária da medicina e a falência do Sistema Único de Saúde, incapaz de se sensibilizar com o sofrimento do bebê. A morte de Pedrinho não será a última, nem foi a primeira por falta de tratamento digno e adequado do SUS.

Insensível e perverso, o governo (Ministério da Saúde) ainda recorreu diversas vezes protelando o caso na Justiça, que deu ganho de causa a Pedrinho.

“Salve o Pedrinho” mexeu com o sentimento da população de Eunápolis e região, gerou polêmica, criou disputa política, mas não conseguiu o objetivo de salvar a vida do menino que lutou contra uma enfermidade rara e conquistou os corações de todos. A morte dele deixa uma frustração e uma tristeza imensuráveis. O que dói ainda mais é saber que Pedrinho morreu precocemente por falta de estrutura na rede de saúde do país que anda revoltado diante de tantos escândalos de corrupção.

Fonte: Bahia40graus.com