Disputa territorial entre facções pode ter motivado chacina que matou 8, diz polícia

Foto

Ao que tudo indica, os 8 mortos na chacina que ocorreu no último dia 5, no bairro Porto Alegre I, em Porto Seguro, podem fazer parte da guerra entre duas facções criminosas, uma do Baianão e outra do Campinho, segundo informações da Polícia Civil.

Na coletiva de imprensa que ocorreu na tarde de ontem (14), o delegado regional Moisés Damasceno, informou que cinco dos jovens assassinados já residiram no bairro do Campinho, e após se mudarem para o bairro Porto Alegre I, onde outra facção criminosa se diz comandar “já seria motivo suficiente para a chacina, na visão deles”, pontuou o delegado (na visão dos criminosos).

De acordo com informações que constam nos autos, no dia 28 de dezembro de 2016, a facção que comanda o bairro Porto Alegre I, já havia avisado ao Gabriel (dono da casa e uma das vítimas) que não voltassem a fazer festas lá.

Armas pura

 Mandante do crime

De acordo com o delegado, diversos depoimentos apontam o irmão de ‘Buiú’, o Antônio dos Reis de Jesus – conhecido como Dos Reis -, como sendo um dos mandantes do crime. Antônio foi preso na segunda-feira (14), na cidade de Buerarema, sul do estado.

“Ainda existem dúvidas se ele participou diretamente das execuções ou se simplesmente mandou”, afirmou o delegado Moisés Damasceno, sobre a participação de Antônio. O delegado informou que o inquérito ainda não foi concluído, por isso, não irá apresentá-lo.  

Antônio está preso por conta de dois mandados de prisão de outro inquérito policial, onde é acusado de dois homicídios que ocorreram um em dezembro de 2016 e outro em janeiro deste ano, de acordo com a polícia.

 Próximos passos da investigação

Um dos próximos passos importantíssimos para a polícia é em relação à perícia (de micro comparação balística) das armas que foram apreendidas, para verificar se elas foram utilizadas no crime. As armas em questão foram apreendidas ontem (14), sendo: um revólver 38 e uma pistola calibre 380. As outras armas são simulados, portanto, não atiram. A perícia das armas será feita em Salvador.

Após 10 dias de investigações – a lei dá o prazo de 30 dias para conclusão -, o inquérito policial segue bem avançado em relação à autoria, indicação de quem participou e qual foi a participação de cada um no crime.

 Material apreendido

Uma parte do material foi apreendido na Rua Vila da Paz, no bairro do Baianão. A casa encontrava-se desocupada. A outra parte do material foi encontrada na Rua Mairi que também estava desocupada e fica no mesmo bairro. A informação é que Makis de Jesus Santos, 18 anos, preso na tarde de ontem (veja aqui), guardava o material que estava na casa da Rua Mairi, que fica exatamente no fundo da casa dele.

Nenhum armamento pesado foi apreendido, mas o delegado Moisés destacou que a polícia pretende apreender todo o armamento utilizado na carnificina.

Das oito vítimas da chacina, quatro eram filhos de policiais e um era cabo da Aeronáutica. Nenhum tinha envolvimento com o crime.

Fonte> Topatudonews