Fraternos: vejam os nomes, quem são?

Foto

De acordo com a PF, o grupo desviou, desde 2008, ao menos R$ 200 milhões.

As investigações apontam que as prefeituras envolvidas contratavam empresas relacionadas ao grupo familiar dos prefeitos para fraudar licitações, simulando a competição entre elas.

Conforme despacho da juíza federal Rogéria Maria Castro Debelli, que autorizou a operação, ao menos dez pessoas fizeram saques em instituições bancárias de valores que somaram os R$ 16 milhões.

De acordo com a investigação, Ricardo Luiz Rodrigues Bassalo sacou R$ 5,3 milhões no período analisado; Margarete Marinho Santos, R$ 1,2 milhão; Rafaela Santos Reis, 1,6 milhão; Douglas Guerreiro Santos, 2,9 milhões; Vagner da Conceição do Espírito Santo, R$ 400 mil; João Lázaro de Assis, R$ 3,4 milhões; Josineto Leite de Jesus, R$ 250 mil; Maria Luiza Tosta, R$ 217 mil; Jorge Lima Batista, R$ 120 mil; e Márcio Puig, R$ 726,5 mil.