Guardas Municipais de Eunápolis entra em greve por falta de condições de trabalho

Servidores da Guarda Municipal decidiram cruzar os braços desde do último dia 16/04/2018. O grupo se reuniu em assembleia na sede da entidade e decidiram a favor da paralisação.

Na manhã desta terça-feira, um novo encontro foi realizado e ficou decidido que a paralisação deve continuar.

A paralisação se deu, por falta de estrutura de trabalho, os mesmo alegam que as viaturas da GCM estão quebradas e algumas manutenções que foram feitas, foram com recurso dos próprios servidores, para não parar o serviço.

“Não recebemos fardamentos as mais de 05 anos, a prefeitura não realiza um novo concurso desde 2011, sendo que o quadro está defasado, prejudicando assim a cobertura do serviço e tornando o serviço ineficiente.

De acordo com a lei federal 13022/14 o efetivo da guarda de Eunápolis era pra ser de 100 guardas e hoje conta apenas com 27, precisamos de Equipamentos de proteção individual, para desempenhar a função de guarda municipal com mais segurança e assim proporcionar um serviço de qualidade a população Eunapolitana” disse um servidor.

Segundo a categoria, o município não cumpre a lei federal 13022/14, que trata do estatuto geral dos guardas municipais.

O município vem agindo de forma ilegal e arbitraria e não a faz cumprir a lei, deixando sua população sem a devida contrapartida do município em prol da segurança.

O  Sindguarda-BA, Sindicato dos Guardas Civis Municipais do Estado da Bahia, informou que foi protocolado vários documentos  junto ao gabinete do prefeito Robério Oliveira, até então não receberam  resposta. 

Enquanto isso a categoria vai continuar com a paralisação.

 

 

 

Fonte> Giro de Notícias