Mulher de Cunha usou conta para pagar aulas de tênis e cursos no exterior

Foto

A conta aberta na Suíça que tem como beneficiária Cláudia Cordeiro Cruz, mulher do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi usada para pagar despesas pessoais em viagens ao exterior, inclusive uma academia de tênis nos Estados Unidos e cursos na Europa. É o que apontam os documentos enviados pelo Ministério Público suíço à Procuradoria-Geral da República (PGR) no Brasil.

Segundo os investigadores suícos, a conta aberta em fevereiro de 2008 recebeu doze repasses no valor total de 1,050 milhão de dólares até janeiro do ano passado. O dinheiro veio de uma das offshores abertas por Cunha – a Triumph SP, que tem conta também na Suíça. O presidente da Câmara tem negado reiteradas vezes ser beneficiário de contas no exterior mas, segundo o Ministério Público da Suíça, uma cópia do passaporte de Cunha foi usada para abrir as contas e o endereço do beneficiário delas é o mesmo do parlamentar no Brasil. Procurado nesta sexta-feira, 9, não se manifestou a respeito das investigações.

A conta em nome de Cláudia Cruz foi registrada com o nome fantasia de Kopek e usada para pagar gastos de cartão de crédito, uma academia de tênis na Flórida (EUA) e cursos na Espanha e no Reino Unido. Além disso, entre 4 de agosto de 2011 e 15 de fevereiro de 2012, foram transferidos 119,795 mil dólares da conta de Cláudia à universidade espanhola Esade.

A publicitária Danielle Cunha, filha do presidente da Câmara, fez MBA na mesma instituição entre agosto de 2011 e março de 2013. A informação consta no perfil de Danielle em uma rede social. Danielle negocia desde março, um mês depois que Cunha assumiu a presidência da Câmara, serviços de marketing político para deputados.