NOTÍCIAS QUENTES
Capa / Notícias / Não vou fazer acordo com o Diabo para ser simpático, diz Bolsonaro
Não vou fazer acordo com o Diabo para ser simpático, diz Bolsonaro

Não vou fazer acordo com o Diabo para ser simpático, diz Bolsonaro

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) afirmou que acertou sua filiação ao PEN. “Houve (o acerto). É verdade.”, disse ao site O Antagonista. 
 
Como nada foi assinado ainda, o deputado brincou: “é igual a um noivado. Você marcou a data do casamento. Em 99% das vezes, você casa.
O importante é que a legenda é minha. Não vai ter desconfiança em hipótese alguma de alguém trair ali – você sabe bem como funciona a política, não é? Nós temos certeza de que vai ter uma enxurrada de filiados ao partido e vai ser no mínimo um partido [de tamanho] médio no ano que vem, se a gente conseguir continuar nessa nossa caminhada. Tem tudo para ser um baita de um casamento”.
 
Ainda em entrevista, Bolsonaro disse que há várias sugestões de novos nomes para o PEN, entre eles Partido da Defesa Nacional, Pátria Amada Brasil e Prona. 
 
Sobre este último, o parlamentar ressaltou que o tema já foi conversado uma das filhas de Enéas Carneiro, fundador do Prona original, e ainda o será com outros familiares do ex-candidato a presidente. “Porque a gente não quer ser acusado de estar furtando o nome, então já tem o sinal verde de uma das partes”.
 
No encerramento da conversa, Jair Bolsonaro, segundo colocado nas pesquisas eleitorais, falou sobre suas chances ao disputar em 2018 a presidência por um partido pequeno como o atual PEN.
 
“Eu acredito que quem tiver 22% vai para o segundo turno e daí você empata o jogo.
E o que é importante também é que eu não vejo isso como obsessão. Então eu acho que está na hora de contribuir com meu país.
Se for vontade de Deus, estamos lá. É isso que eu penso. Não vou fazer acordo com o Diabo para ser simpático e talvez conseguir sentar na cadeira dessa forma.
Você senta, mas depois não governa, é muito difícil”, diz.
 
Com 20,8% no último levantamento do instituto Paraná Pesquisas (no cenário com Geraldo Alckmin), Bolsonaro está próximo dos 22% que acredita ser necessário alcançar. Se contar a margem de erro, na verdade, já alcançou.

Sobre Anaildo Colonia

Scroll To Top