Nigéria se tornou o país mais perigoso do mundo para cristãos, diz advogado local

Foto

Uma nova onda de ataques de fazendeiros da etnia Fulani contra cristãos na Nigéria está levando um defensor internacional dos direitos humanos a pedir ao Congresso dos Estados Unidos que inicie uma investigação.

Ele alerta que agora o país se tornou o local mais perigoso para os cristãos viverem.

“A Nigéria é agora o lugar mais mortífero do mundo para os cristãos”, explicou o advogado Emmanuel Ogebe. “O que estamos vendo é realmente um genocídio.

Eles estão tentando expulsar os cristãos, estão tentando tomar suas terras e estão tentando impor sua religião aos chamados infiéis e pagãos, que é como eles consideram os cristãos”.

Duas semanas atrás, 238 pessoas foram mortas em um massacre na aldeia centro-norte da Nigéria.

Seis dos parentes de Ogebe estavam entre as vítimas.
 
“Pelo que conseguimos juntar de informações, havia um marido e sua esposa grávida.

Ele tentou levá-la para fora da casa [antes que fosse invadida] e voltar para pegar as crianças”, lembrou Ogebe. “Mas eles se depararam com os pastores fulani ao longo do caminho, que atiraram nele e em sua esposa grávida.

Então, os terroristas foram para a casa deles e mataram o filho de quatro anos e a filha de seis anos, que estavam dormindo em suas camas.”

Os agressores muçulmanos também mataram dois parentes do advogado que estavam visitando a família durante as férias de verão.

Ogebe foi informado de que as autoridades não permitiriam que os cadáveres de seus parentes fossem levados para um enterro separado.

Em vez disso, eles foram enterrados em uma vala comum com as outras vítimas.

 

 

 

 

Fonte> CPADnews