Pastor chinês afirma que é uma bênção ir à prisão e sofrer por Jesus

Um pastor, que não teve seu nome revelado por razões de segurança, está convencido de que o cristianismo pode abalar o controle indomável do Partido Comunista Chinês (PCC) e está disposto a pagar o preço por essa convicção.

“É uma bênção ir à prisão, sofrer por Jesus”, disse o reverendo C. à revista americana Time.

Assim como ele, os pastores de Hong Kong não têm permissão para evangelizar ou estabelecer igrejas na China sem autorização do governo.

No entanto, muitos desafiam essas proibições através das chamadas “igrejas subterrâneas” nas casas e locais de trabalho.

“O Partido Comunista da China tem medo disso. Eles querem controlar os cristãos”, explica reverendo C.

Embora o presidente Xi Jinping tenha trabalhado para levar o cristianismo ao controle do Estado, estimativas projetam que a China irá abrigar a maior comunidade de cristãos do mundo até 2030.

Estudiosos estimam que existem entre 80 e 100 milhões de cristãos no país, em comparação com 89,5 milhões de membros do partido comunista, que se declara ateu.

À medida que mais chineses buscam uma alternativa espiritual à repressão política, o cristianismo continua ganhando terreno, crescendo cerca de 10% ao ano.

 

 

 

Fonte> CPADnews