Pastor pode ser condenado à prisão perpétua na Turquia

O governo turco está buscando formas de condenar o pastor americano Andrew Brunson a uma sentença de prisão perpétua.

Porém os defensores dos direitos humanos afirmam que a prisão do missionário – desde dezembro de 2016 – é injusta e que as acusações de espionagem e terrorismo que recaem sobre ele são falsas.

De acordo com a agência de notícias Turkish Dogan, na última terça-feira (15), um promotor acusou formalmente o pastor Brunson de ser um “executivo” de um grupo que o governo do presidente Recep Tayyip Erdo?an responsabiliza pela tentativa de golpe de Estado em julho de 2016.

Brunson, nativo da Carolina do Norte, que liderou uma pequena congregação na Esmirna (sudoeste da Turquia) nas últimas duas décadas, foi falsamente acusado de ter ligações com o clérigo islâmico Fethullah Gulen, que é acusado de organizar a tentativa de golpe em 2016.

Com base no depoimento de uma “testemunha secreta”, Brunson foi acusado de obter documentos secretos, relacionados ao objetivo de espionagem e derrubar o governo. Brunson negou as acusações.

Segundo a Comissão dos Estados Unidos pela Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF), o procurador acusou Brunson de “liderança em uma organização terrorista”.

 

 

 

Fonte> CPADnews