Presos por evangelizar nas ruas, missionários pregam na cadeia e detentos se convertem

O pastor Zakkir, da Missão Bíblias para o Oriente Médio trabalhou árdua e secretamente em um dos países mais intolerantes do Oriente Médio ao Evangelho.

De defensor islâmico e matador de cristãos a líder de uma igreja doméstica, ele tem sido chamado de um “Saul muçulmano”.

Depois de sua conversão dramática, ele estava pastoreando uma igreja subterrânea da ALG (Assembléia do Deus Vivo) e cuidando de um número de cristãos perseguidos que haviam se convertido do Islã. Ele discipulou e treinou sete jovens para evangelizar efetivamente no Oriente Médio.

Cerca de sete meses atrás, ele e sua equipe se dirigiram para evangelizar e distribuir folhetos e bíblias em uma área particularmente perigosa.

Eles compartilharam o evangelho com muitos muçulmanos da região e, ao voltar para casa, sentaram-se para interceder pela salvação daqueles a quem tinham alcançado.

Enquanto oravam, um grupo de policiais e locais irritados os deteve, empunhando armas. Eles brutalmente atacaram Zakkir e sua equipe, queimaram suas bíblias e a literatura cristã que eles distribuíam.

Enquanto os homens que acompanhavam a polícia pretendiam matar os cristãos, felizmente os oficiais decidiram “apenas” prendê-los.

Eles foram levados a um tribunal religioso para serem julgados e condenados à prisão por blasfêmia e proselitismo.

Mas foi após serem jogados em uma cela comum com notórios criminosos e assassinos, que seus verdadeiros julgamentos começaram.

Por mais de um mês, eles enfrentaram torturas cruéis por parte de agentes carcerários e implacáveis, muitas vezes violentas perseguições de outros prisioneiros.

No entanto, eles relatam agora que sentiram o amor sempre presente do Senhor Jesus Cristo.

 

 

 

Fonte> CPADnews