Promotor baiano critica indenização de presos concedida pelo STF

Foto

Nesta quinta-feira (16) o Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu que o Estado deve ser responsabilizado por condições carcerárias degradantes e deve arcar com o pagamento de indenização ao preso. A decisão deverá ser seguida pelos tribunais do país. O promotor de Justiça baiano, Davi Gallo, que atua na área de homicídio, ficou indignado com o benefício à “classe criminosa” e disparou críticas contra o STF e o estado.

Classificando como um absurdo e uma falta de consideração total do ST com o contribuinte brasileiro, Davi Gallo ainda disse que o “Crime organizado já tomou todos os espaços no Brasil”. O promotor também ponderou: “É muito estranho que a mais alta corte do Brasil tome uma decisão como essa tão contrária aos interesses da nação. Parece que já existe um lobby no sentido de favorecer facções criminosas. Porque essa decisão vai favorecer a maioria dos integrantes de facções criminosas, a exemplo do comando vermelho e PCC. Isso é muito estranho”.

Ainda criticando, Gallo lamentou a falta amparo as vítimas de criminosos. “Há muito tempo as vítimas desses criminosos estão sendo tratadas como lixo pelo estado. Após essas rebeliões com mortes, o estado ao invés de se voltar favorável ao cidadão e vítimas de bandidos, resolveu pegar dinheiro do contribuinte para indenizar criminosos. Com isso, mais uma vez o estado está favorecendo integrantes do crime organizado, o que também é muito estranho”.

Levantando uma hipótese grave e preocupante, o promotor de Justiça também critica a indenização de famílias de criminosos. “O crime organizado parece ter alcançado os altos escalões do governo, porque as ultimas decisões do estado são no sentido de favorecer os criminosos. Primeiro indenizar os familiares deles e agora essa decisão esdrúxula. Eles são a vítimas da sociedade e quem quiser que diga o contrário”, dispara.

Segundo Gallo a maioria dos beneficiados pela decisão do STF são presos ligados ao crime organizado. “São todos filiados a grupos criminosos. A maioria dos homicídios são ligados ao tráfico de drogas, que é ligado ao crime organizado. Quero ver até quando o cidadão de bem, vai aguentar os desmando dos nossos governantes e julgadores”, indaga.

Comparando as decisões, Davi Gallo criticou também o estatuto do desarmamento e disse que o estado perdeu o controle e o cidadão de bem precisa ter o porte de arma de volta. “O porte de arma do cidadão tem que voltar com urgência porque o estado perdeu o controle. O que aconteceu no supremo foi a maior vitória do PCC no país. Estou indignado. Envergonhado de ser brasileiro. Hoje muito mais inseguro e lesado no meu patrimônio, pois quem vai pagar essa conta sou eu o cidadão de bem”, critica.

Fonte> Bocãonews