Totalmente desmoralizado: depois de ser expulso da Câmara, Jota Bastos é alvo de denúncias e citado de usar um linguajar das gangues e dos presidiários

Foto

O radialista Jota Bastos, da rádio Ativa FM entra em rota de colisão com diversos setores da sociedade regional. Hoje, ele figura como o comunicador com o maior índice de antipatia da história do rádio baiana.

Depois de ser expulso da Câmara de Vereadores de Eunápolis de forma vergonhosa, ele está totalmente desmoralizado, e assim, vem usando os microfones para atacar pessoas da sociedade, entidades representativas, prefeitos, pais de família e gente de bem, com isso, sofrendo sérias acusações por parte da própria imprensa, dos vereadores, o repúdio de setores importantes da sociedade regional.

Bastos

Adjetivos não faltam sobre os ombros de Jota Bastos. Da cidade de Itapebi através da mãe do presidente da Câmara de Vereadores, ele foi acusado, conforme consta nas redes sociais, de ter  chantageado o presidente daquela Casa.  Em Eunápolis, ele está sendo acusado pelo vereador Adelson do Alecrin de ser “um moleque e propineiro”, fato endossado pelo vereador José Carlos Taxista que o acusa de ter se beneficiado do seu posto de combustível, e de ter abastecido de graça muitas vezes. (Uma espécie de chantagem) A prefeita de Belmonte, Alice Maria, depois de ter sido chantageada inúmeras vezes por ele, passou a ser alvo de duras críticas diariamente, sendo repudiado por uma  deputada estadual. Foi mais longe e debochou da vice-prefeita Maria Menezes, mãe de família respeitada, dizendo que a mesma era “cana chupada”.

Nesta quinta-feira, 08, Jota voltou a ser alvo de várias denúncias por parte dos vereados de Eunápolis, e dos sites de notícias a exemplo do Via41.com.br, do Atosnotícias.com, do site Bahi40graus, que o acusa de usar linguagem de presos e de gangues.

Fonte: Agazetabahia.com